h1

Couchsurfing

abril 17, 2011

Estamos acostumados, durante as viagens, a ficarmos hospedados em hostels, pousadas, hotéis, entre outros. Porém, tem uma forma de hospedagem, já existente há alguns anos, onde as pessoas oferecem e procuram um sofá ou uma cama confortável com pessoas bacanas e descoladas para passar um determinado período.

O chamado Couchsurfing (surfando no sofá) ou Bed and breakfest (cama e café da manhã) é um serviço de hospedagem com base na internet. Nele os Anfitriões ou Surfers (convidados) se hospedam na casa de moradores locais, diminuindo o custo com hospedagens, com o intuito de fazer novas amizades, trocar experiências, proporcionar um maior envolvimento cultural conhecendo melhor os hábitos e culturas da região.

O cadastro é realizado pela internet, através de sites especializados no assunto onde o viajante ou o anfitrião preenche dados, tais como informações pessoais, costumes, hobbies, informações da sua casa e o que tem para oferecer o convidado. Cada vez que uma pessoa se hospeda ou recebe alguém em sua casa, é feito um relatório em que o outro, descreve sua experiência e dá referências de ambas as partes. Essas referências, que são chamados de vouchers, servem para aumentar a confiança entre os membros dessas comunidades.

Apesar de parecer uma idéia muito boa, feliz e econômica, não podemos esquecer que os riscos existem. Com o aumento da violência e de pessoas com más intenções no mundo, temos que tomar muito cuidado e seguir certas regras de segurança para que, o que era pra ser uma ótima experiência não acabe como roteiro de um filme de terror. Nos sites existem várias medidas de segurança para hospedar e se hospedar com essa modalidade.

Um vídeo que explica bem o que é o couchsurfing:

A missão do couchsurfing é “Participação na criação de um mundo melhor, um sofá de cada vez”.

Abaixo, segue alguns sites e fóruns especializados nesse segmento de meios de hospedagens:

http://www.couchsurfing.org/

http://www.bedandbreakfast.com/

http://www.camaecafe.com.br/cama.php

http://www.mochileiros.com/alguem-conhece-o-couchsurfing-t31139.html

http://www.irishpolyglot.com/travel/casa-dos-40-couchsurfing-recife/pt/

“O risco vai sempre existir, mas temos que acreditar que ainda existem pessoas boas no mundo.”

h1

Dicas de mochila – Parte I

fevereiro 28, 2011

 Que mochila comprar?? 

Escolher a mochila ideal para fazer uma trip, realmente, não é fácil. Antes de qualquer coisa, pense em que atividade você vai realizar com ela. Existem mochilas especiais para bike, montanhismo ou caminhadas.

Para começar…

O Tamanho. Quantos litros ela deve ter?

Eu sei que parece meio estranho a princípio mas, o tamanho da mochila é definido pela capacidade de litros. As pequenas em geral têm capacidade para 25 a 40 litros, são chamadas mochila de ataque. A capacidade das médias varia em 45 a 60 e as grandes, conhecidas como cargueiras, entre 60 a 90 litros.

Ataque 25L; Média 60L; Cargueira 90L

Ah! Tem também as mochilas de hidratação: Vai pedalar? Nem pense duas vezes! Esta é a mochila ideal para um dia em cima da bike.

O ideal de peso para carregar na mochila, se você tiver boa preparação física é 1/3 do seu peso. Se não tem tão boa preparação, mas agüenta uns trancos 1/4 do peso. Agora, caso você seja um sedentário total que acabou de se lançar numa aventura é recomendado carregar apenas 1/5 do seu peso.

O que devemos observar na mochila antes de comprar?

Testar é fundamental. Há inúmeras marcas no mercado, mas antes de optar por uma faça o teste da costura. Vire-a do avesso e puxe com força no lugar das costuras para ver se o modelo escolhido é bem resistente.

O material deve ser resistente, maleável e impermeável. O adequado é Poliéster de alta tenacidade, com alta resistência à abrasão, cordura, ou mesmo kevlar, no caso de alguns produtos importados.

´

Observe a disposição dos compartimentos da mochila. As aberturas são essenciais principalmente se tiver acessos no fundo e nas laterais. Um modelo bem dividido torna a organização mais prática e evita bagunça só porque você esqueceu seu agasalho lá no fundo.

A mochila mais cara não é necessariamente a melhor. A menos que você planeje ficar viajando de mochila durante os próximos vinte anos. R$800,00 numa mochila é um desperdício de dinheiro, quando muitas mochilas com preços moderados (Entre R$120,00 e R$350,00), podem atender a sua finalidade tão bem, se não melhor, do que as mais caras.

Já ouviu falar em Ergonomia? Refere-se à ajustabilidade dos objetos à anatomia humana. No caso da mochila ele é fundamental. Proporcionar transporte de carga em harmonia com a constituição física humana é a principal função da mochila. Na hora de escolher a sua, preste muita atenção em como ela se ajusta às costas e aos quadris. As regulagens do lado são imprescindíveis, pois mesmo ela não estando muito cheia é possível ajustá-la e manter a carga bem firme no corpo.

   

A barrigueira é um dos acessórios mais importantes da mochila, pois é na parte dos quadris onde está concentrado todo o peso dela. Ela deve ser largas, bem acolchoada para não machucar e ficar muito firme e apoiada sobre os ossos da bacia. Nunca se deve levar uma cargueira pesada com a barrigueira aberta, pois desse modo estaremos com todo o peso sobre os ombros.

E quanto às alças… Elas devem estar justas ao corpo, mas sem machucar os ombros. As mulheres devem verificar se a curvatura das alças não está incomodando na altura dos seios. Depois de algumas horas de caminhada, alças inadequadas podem machucá-los.

 

 

 

Caso a compra seja pela internet, faça milhares de perguntas ao fornecedor antes de finalizar transação. Não se preocupe em ser inconveniente, chata, pentelho, afinal, quem vai carregar essa belezinha nas costas por longas horas é você. 

Segue abaixo uma relação com as melhores e/ou mais utilizadas marcas de mochilas:

 Kailash – Site em Português, Espanhol e Inglês – o site mostra os seus produtos como: sacos de dormir, roupas, acessórios – além da  tecnologia utilizada para a fabricação das mochilas;

Trilhas & Rumos – Site em Português – É uma grande loja virtual da Trilhas & Rumos, onde você poderá comprar todos os produtos da loja on-line;

Curtlo – Site em Português – No site informações sobre a marca e todos os seus produtos e sobre a empresa;

Deuter –  Site em Português – No site todos os produtos da Deuter, e também informações de onde comprar as mochilas;

Conquista Montanhismo – Site em Português – No site podemos ter informações sobre a empresa, produtos e revendedores.

 

 

 

h1

Os 7 pecados capitais do Viajante

fevereiro 21, 2011

Descubra os 7 pecados que não podem ser cometidos por mochileiros e viajantes:

1. GULA – Turismo gastronômico é uma coisa. Sair comendo tudo e exageradamente o que encontrar pela frente é outra. Pergunte antes se a comida local leva muita pimenta, muita gordura ou muito dendê. Os desarranjos intestinais são o nº 1 da lista de inconvenientes que podem estragar sua viagem. Passar de segunda a sexta comendo moqueca na Bahia é pedir para conhecer o hospital no sábado.

2. LUXÚRIA – Se sua viagem não for aquele cruzeiro para solteiros, não saia à caça desesperadamente. Xavecar é permitido, mas abusar da sua volúpia e devassidão em terras estranhas vai dar um bafafá daqueles. Lembre-se, Sodoma e Gomorra são dois destinos fora de moda. Todo e qualquer lugar tem suas regras. Uma cidade do interior do Ceará, por exemplo, com certeza deve possuir um modus-operandi diferente da capital, Fortaleza. Fique atento.

3. AVAREZA – Viajar uma vez ou outra na classe-pau-de-arara, vá lá. Mas passar três noites dormindo dentro de um trem indiano para economizar a diária do albergue é fria! Quem dorme em trem, na verdade não dorme e perde o outro dia porque invariavelmente está cansado. Ser mão-de-vaca-muquirana em alguns contextos é necessário. Mas se sua sovinice e mesquinhez passarem dos limites, você se sentirá o viajante mais pobre e humilhado do planeta. Momentos de extravagância devem, sim, fazer parte do seu roteiro.

4. IRA – Lugar de mal-humorado é em casa. Toda viagem tem seus imprevistos. E, costumo dizer, todo imprevisto é um teste. Passe pelas provas com dignidade e respeito. Xingar, blasfemar, tratar mal o taxista e brigar com o recepcionista do hotel são atitudes que só vão encaixar você no rol dos mal educados e grosseiros. Seja sempre gentil, fale baixo, por favor e obrigado. Em caso de ser mal tratado busque diretamente o chefe, o gerente ou a supervisão. Mesmo assim, esteja seguro de que o certo é você.

5. SOBERBA O pior que pode acontecer é viajar com gente que se acha! Sabe aquele tipo matraca (glupt!) que não para de falar, contar, descrever, enumerar – tim tim por tim tim – tudo que já viu, percorreu e conheceu? Compartilhar conhecimento é fundamental, mas ficar exibindo sua inteligência barsiana a cada monumento ou museu visitado é muito chato e desagradável. Contenha-se!

6. PREGUIÇA Para um turista, este estaria entre os pecados mortais sem chance de perdão. Viagem exige planejamento, pesquisa, leitura e muita disposição. Quem tem preguiça de ler, não gosta de planejar, busca a inércia dos lugares ou a vadiagem dos destinos merece ir direto para o purgatório. Somente um conclave com toda a armada celestial para salvar a alma de um viajante preguiçoso.

7. INVEJA Se os outros viajam e você não, a culpa – seguramente – é sua! E não dos outros. O livre arbítrio existe para que VOCÊ decida o que fazer com o seu dinheiro. Se a prioridade na sua vida é ter uma televisão de 42 polegadas, invista nela! Mas não demonstre aflição na prosperidade dos que vivem de malas prontas. Entenda que os turistas profissionais viajam não porque tenham dinheiro, mas porque o patrimônio que eles buscam nenhuma moeda pode comprar.

Texto extraído do blog Matraqueando da blogueira matraca, Silvia Oliveira. Confira o Link no nosso Blogroll

h1

Dicas de fotografia para mochileiros…

fevereiro 14, 2011

Quantas vezes viajamos para lugares fantásticos, com ótimas câmeras (ou mesmo uma mais ou menos) porém, na hora das fotos, elas nunca saem como nós imaginamos.

E… O que é mais importante na foto? nós? ou as paisagens, monumentos, etc?

Encontrei um vídeo bem bacana com algumas dicas de como fotografar na viagem e, como aproveitar melhor as fotos. Não se preocupe, não é nada com explicações técnicas ou super profissionais, apenas informações úteis para nós mochileiros e, passadas de forma bem descontraída.

Espero que gostem!

h1

Próxima Parada: Rio de Janeiro!!!

fevereiro 9, 2011

Volta ao Rio em 3 dias……

Pois é… Em março estarei viajando para a Cidade Maravilhosa. Pena que ficarei por lá pouco tempo. Irei dia 25/03 a 27/03. Porém, já preparei uma lista de todas as coisas que pretendo fazer lá nesses três dias.

Chegaremos ao Rio no dia 25/03 as 06h da manhã. Encontramos um albergue em Copacabana, Copahostel. A diária em quarto coletivo está por R$ 45,00. Tem um pub nele, o ambiente, ao que parece, é agradável e, são oferecidos serviços turísticos diversos no próprio hostel.

http://www.copahostel.com.br/

Segue uma relação dos principais lugares no Rio para conhecer:

  • Passeio pelo centro: Biblioteca Nacional, Teatro Municipal, Catedral Metropolitana de São Sebastião, Arcos da Lapa, Central do Brasil, Sambódromo, Santa Tereza (com passeio de bondinho) visita aos ateliês, feiras de artesanato e paradas para comes e bebes.

  • Corcovado/ Cristo Redentor: À tarde, a melhor opção é ir para o corcovado, subir de trem até o cristo redentor. Admirar a vista maravilhosa que engloba praticamente toda a cidade com seus bairros, morros e prédios.

  • Noite na Lapa. Não posso indicar bares legais (Ainda), porém sei que a noite por lá é uma das mais badaladas do Rio de Janeiro. Ah! Não podemos deixar de ir numa casa de samba. (ou em um funk, quem sabe…)

 

  • Pão de açúcar: passeio de teleférico.

 

  • Para quem gosta de praia (eu adoro!) nada melhor que fazer uma bela caminhada pelo calçadão de uma das praias mais conhecidas do mundo – Copacabana. Depois Ipanema, Leblon e/ou Barra da tijuca.

 

  • Praia do Arpoador: Tradicionalmente freqüentada por surfistas, apresenta uma ótima ondulação em dias de mar alto. A pedra do Arpoador, também, é um ponto concorrido para se apreciar o por do Sol.

 

  • Búzios: Faremos uma excursão para Búzios, com passeio de escuna. Visita a doze ilhas e quatro praias. Inclui parada para banho e, bebidas inclusas durante todo o passeio. 

  • Vôo de Asa Delta na Pedra Bonita, em São Conrado.

Caso alguém tenha mais dicas, informações, roteiros, contatos, aceito sugestões.

h1

Você sabe que lugar é esse???

janeiro 20, 2011

SALAR DE UYUNI

O Salar de Uyuni, na Bolívia, é a maior planície de sal do mundo e, com certeza, uma das mais exuberantes paisagens do mundo. Está localizado no sudoeste do país, próximo a Potosí (outra cidade fantástica) e Oruro, na região dos altiplanos andinos e, a cerca de 3.650m de altitude. São 12 quilômetros quadrados de imensidão branca que encanta os olhos de todos. Particularmente, a minha sensação, quando estive lá, foi de estar em um sonho.

Cerca de 40.000 anos atrás, a área era parte do LagoMichin, um gigantesco lago pré-histórico. Quando o lago secou, deixou como remanescentes os atuais lagos Poopó e Uru Uru, e dois grandes desertos salgados, Coipasa (o menor) e o extenso Uyuni (maior que o lago Titicaca na fronteira com a Bolívia e o Peru).

No início de novembro até março se inicia o período de chuvas nos altiplanos e, é quando acontece o grande descongelamento das geleiras, fazendo com que o salar se transforme em um gigantesco espelho d’água onde se confundi o horizonte com o céu, os passeios ficam restritos a algumas áreas. Já entre abril e novembro, o salar vira uma grande imensidão árida e totalmente acessível.

Basta escolher o melhor período para visitar. Porém, uma coisa é certa, seja qual for o mês, a paisagem é sempre surreal e as fotos ficarão perfeitas. Afinal, não tem como ter fotografias feias com uma paisagem assim.

O acesso para o Salar é feito pela cidade de Uyuni e, sempre, com uma agência especializada ou, pelo menos, contratando um guia local. O passeio não é caro e é realizado numa 4×4, adventure total. Geralmente os viajantes fecham a viagem de 3 dias e 2 noites passando pelo cemitério de trens, várias lagunas e o deserto de Sioli (o mais árido do mundo), custa em média US$ 85,00, porém esse roteiro vai até o vulcão Licancabur (um deus imponente com 5.916m de altura), na fronteira com o Chile e Argentina e retorna para a cidade de Uyuni. Tem outro roteiro de 4 dias e 3 noites com destino final na cidade de San Pedro, no Chile (um pouco mais caro, US$ 120,00 mais ou menos). Essa segunda opção é uma boa idéia para quem quer conhecer o deserto de Atacama e seguir para o Chile.

A altitude em alguns pontos da viagem pode superar os 4.800m. O sol é escaldante e o frio de doer na espinha por conta dos ventos que são muito fortes. Durante o dia é muito quente e a noite muito frio. Porém, nada paga o azul do céu no meio do deserto (dizem que nos altiplanos o céu é mais azul que em qualquer outro lugar no mundo). A noite, o show de estrelas cadentes e a visão privilegiada das constelações é uma dádiva divina para os viajantes que por ali passam.

Este post é dedicado à minha amada amiga Fernanda Soveral que nesse momento está no Salar de Uyuni no processo de encontros e desencontros com seu EU interior.

h1

Um homem precisa viajar – Amyr Klink

janeiro 15, 2011

“Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu.”